Close
    Search for HOT projects, news, people and jobs.
News — 22 June, 2022

Conheça os projetos em andamento do Hub LATAM!

O Hub de Mapeamento Aberto da América Latina está ocupado com vários projetos, se você quiser saber quais são, aqui compartilhamos uma visão geral do que está sendo feito na região.

Quando apresentamos a atualização de maio de 2022 do Hub de Mapeamento Aberto na América Latina, mencionamos que publicaríamos artigos com atualizações mais detalhadas sobre cada projeto. Hoje compartilhamos com você uma visão geral dos projetos que estão em maior estado de progresso.

Projetos

Canoa de Tolda (Brasil)

CT-BSF-2001-0011.jpg

Mato da Onça, Baixo São Francisco, Coleção Canoa de Tolda, Imagem Canoa de Tolda, 2001 – Pão de Açúcar – AL

Canoa de Tolda é uma organização brasileira sem fins lucrativos cujas atividades ocorrem no baixo curso da bacia do rio São Francisco. Sua missão é promover a proteção e preservação desta região por meio da coleta de dados sobre questões sociais, culturais, científicas e ambientais; a troca de conhecimento e o apoio à organização das comunidades ribeirinhas locais em situação de risco na defesa de seus direitos.

Desde novembro de 2021, em parceria com a HOT, a Canoa iniciou o mapeamento colaborativo utilizando ferramentas abertas, com o objetivo de:

  • produzir dados, tabelas e temas inexistentes na documentação cartográfica oficial da região de interesse;

  • capacitar a sociedade civil com gerenciamento de dados abertos;

  • melhorar os planos de redução de risco de desastres liderados pela comunidade.

Para as etapas seguintes dessa cooperação, a HOT fornecerá treinamento de campo com especialistas e apoio na aquisição de materiais e equipamentos, para garantir a transferência completa do conhecimento e a sustentabilidade do compromisso de Canoa. Esta fase se concentra no monitoramento de inundações, modelagem 3D com drones e mapeamento comunitário.

Mapeamento de dejetos sólidos (Guatemala)

guate2.jpg

Imagen: eluniversal.com.mx/

Por meio de uma colaboração, estamos apoiando o Laboratório de Aceleração (AccLab) do PNUD na Guatemala, e ao Ministério do Meio Ambiente e Recursos Naturais (MARN) para desenvolver uma metodologia participativa replicável para identificar espaços críticos para depósitos ilegais de lixo nas cidades e em espaços naturais, bem como entender da comunidade a extensão do impacto, principalmente em corpos d’água, particularmente no rio Motagua, altamente contaminado por resíduos de todos os tipos.

A HOT já teve no passado projetos com este mesmo foco em outras áreas do mundo, por exemplo em Lusaka e Dar Es Salaam. Para nós, então, trata-se de adaptar uma metodologia e aprender como deslocar nosso olhar para outras geografias, sociais, políticas, ambientais.

Open Cities Tulum (México)

Foto de Ce Ja(2)-367317.jpg

“OpenCities Tulum”, renomeado como Co.Mapper, é uma adaptação de uma metodologia já implementada em várias cidades da África pela HOT em colaboração com o GFDRR, e desta vez financiada pela Swiss Re Foundation. No México, o município de Tulum foi escolhido devido à exposição às mudanças climáticas experimentadas pela Península de Yucatán e por Quintana Roo e os meios relativamente limitados que este município tem para enfrentar o impacto do crescimento urbano e turístico que ocorreu em diferentes níveis desde a última década.

A metodologia Opencities consiste na criação de um grupo de governança para aproximar informações cartográficas voluntárias de uma política pública que melhore a gestão de riscos e a resiliência das populações expostas a desastres climáticos e ambientais.

No caso de Tulum, a equipe HOT trabalhou em estreita colaboração com a prefeitura de Tulum para diagnosticar de forma detalhada e com os habitantes, os riscos de cada um dos 29 assentamentos e cidades deste território. Graças a isso, será produzido um mapa vetorial aberto ao público que também permitirá à prefeitura atualizar seu Atlas local de risco com uma visão agora comunitária.

Outro fundamento da metodologia OpenCities é a transferência de conhecimento, por isso os funcionários das diferentes dependências deste município foram treinados no uso de mapas, na criação de dados cartográficos e uma melhor estratégia de gestão de dados locais, isso através de oficinas de capacitação em OpenStreetMap, Qgis e Open Data Kit. Aproveitando o interesse de uma grande diversidade de atores, também foram treinadas organizações civis e uma escola pública, o CECyTE de Tulum.

Fábrica de projetos (Regional)

fabrica cusco.jpeg

A Fábrica de Projetos valoriza e acompanha novas iniciativas e ideias que ampliam o potencial de elaboração e uso de mapas abertos por diferentes grupos e comunidades em questões sociais, ambientais e humanitárias.

A Fábrica é uma experiência para um futuro mecanismo de apoio contínuo a todos os tipos de atores para formular suas iniciativas com impacto social, integrando ferramentas e dados cartográficos, e assim alcançar mais progressos.

Em abril de 2022, iniciamos três projetos piloto na região de Cusco, no Peru.

  • Apoio técnico às prefeituras locais no georreferenciamento e digitalização da monitoramento da água para o consumo humano.

  • Acompanhamento das comunidades na elaboração de mapas das características comunitárias utilizando mapeamento aberto.

  • Pesquisa -com centenas de alunos do ensino médio- sobre a visualização de temas de interesse e a resolução de problemas locais por meio de mapeamento aberto em áreas urbanas e rurais nos Andes.

Estamos em processo de colaboração com outros grupos da região que darão origem a mais subprojetos da Fábrica. Queremos aprender com nossas experiências e ampliar nosso apoio a todos os projetos interessados ​​na LATAM.

Apoio comunitário regional

Rodrigo2.jpg

Esse apoio é baseado no contato e conhecimento da comunidade regional para identificar necessidades e conectar diversas comunidades e grupos de diferentes países.

  • Equador: Colaboração estratégica com OpenLabEc em treinamentos e atividades para fortalecer a comunidade de mapeamento livre.

  • El Salvador, Honduras, Guatemala: Desenvolvimento e fortalecimento de comunidades de mapeamento livre na América Central e articulação com grupos, ONGs e acadêmicos com foco no apoio às mulheres migrantes.

  • Colômbia, Venezuela, Peru, Brasil: Exploração de interesses, necessidades e projetos locais, assim como contato e conexão com comunidades, organizações da sociedade civil, fundações, laboratórios e outros atores que, de seus próprios campos de atuação, tenham interesse em mapeamento.

Projeto interno

Recomendacões do modelo do Hub

Durante os primeiros 6 meses do ano, e graças ao aprendizado e recomendações proporcionadas pelos projetos realizados pela Equipe Alfa, foi desenvolvida uma série de recomendações sobre qual modelo de Hub pode agregar mais valor à região LATAM, dando também continuidade à forma flexível com que trabalhamos durante esta parte do ano e que beneficiou a nossa capacidade de captar e atender às necessidades específicas dos atores locais em termos de mapeamento aberto, e também ter uma existência legal local.

Status: Já identificamos os blocos temáticos que definem um Hub, e começamos a concluir quais características específicas acreditamos serem mais adequadas à realidade e oportunidades da região para desenvolver o uso de dados, mapas e softwares gratuitos cartográficos, baseados nas experiências compartilhadas pelos projetos e priorizando as necessidades das comunidades locais.

E por enquanto é só, depois contamos mais e, como sempre, estamos à disposição para qualquer dúvida, através do nosso e-mail hublatam@hotosm.org ou das nossas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook.